Clockwork Comunicação

Twitter

O que é o clipping?

blog Pausa Dramática

Brasileiro leu mais livros e pagou menos por eles em 2009, diz pesquisa

11 de ago de 2010

Número de exemplares publicados foi 13,5% superior ao de 2008 e o preço médio às livrarias ficou 3,56% abaixo da média registrada naquele ano, baixando de R$ 11,52 para R$ 11,11

O brasileiro leu mais livros gastando menos em 2009, mesmo com a crise financeira mundial que afetou praticamente todos os setores econômicos a partir do final de 2008. É o que aponta a Pesquisa Produção e Vendas do Setor Editorial divulgada nesta terça-feira (10), que revela que o número de exemplares publicados no ano passado foi 13,5% superior ao de 2008. As opções, no entanto, não variaram tanto, já que o número de títulos disponíveis aumentou apenas 2,7%.


Realizado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) da Universidade de São Paulo (USP), a pedido da Câmara Brasileira do Livro (CBL) e do Sindicato Nacional de Editores de Livros, o estudo apurou que, no ano passado, o preço médio dos livros vendidos pelas editoras às livrarias ficou 3,56% abaixo da média registrada em 2008, baixando de R$ 11,52 para R$ 11,11.

Segundo a presidente da CBL, Rosely Boschini, o aumento do número de exemplares vendidos e a suspensão da cobrança do PIS/Cofins, desde 2004, tem sido os principais fatores para os preços caírem nos últimos seis anos.

"Esse crescimento mostra que o mercado editorial brasileiro está maduro", comemorou Rosely, destacando o resultado relativo às vendas do segmento infantil, cujas obras responderam por 7,4% da produção, ou seja, por pouco mais de 28 mil do total de 386 mil exemplares produzidos.

Se somado à participação da literatura juvenil (6,9%), os livros voltados às crianças e aos adolescentes ocupariam o segundo lugar da produção por área temática, atrás apenas dos livros didáticos, que atingem 47,5% da produção.

"Isso demonstra que os jovens e as crianças estão lendo mais. E se o mercado editorial está publicando e vendendo mais para estes dois públicos, o futuro do livro está garantido", comentou Rosely.

Para ela, o mercado ainda tem muito espaço para se expandir, pois o brasileiro ainda lê pouco, mesmo com o número de livros consumidos anualmente por cada brasileiro tendo saltado da média de 1,8, em 2000, para os atuais 4,7.
 
da Abril

0 comentários:

Postar um comentário

 

2009 ·Clockwork News by TNB