Clockwork Comunicação

Twitter

O que é o clipping?

blog Pausa Dramática

Não existe ingrediente secreto

30 de ago de 2009

Quando assisti Kung Fu Panda pela primeira vez, não pude deixar de notar as semelhanças com outros personagens. É disto que vou tratar hoje.



Po, Tracy Turnblad e Remy são três personagens muito semelhantes e cativantes. Todos eles são alegres e dispostos. Se acham deslocados no universo onde vivem e buscam por algo maior. Invariavelmente enfrentarão uma grande provação para provarem que são bons o suficiente. Claro que este resumo pode se aplicar a uma pá de filmes, mas meu carinho por estes três me faz ver as semelhanças com mais afeição.



Po
Quem é: o panda protagonista do desenho Kung Fu Panda. É filho de uma cegonha (?) e herdeiro de um restaurante de macarrão oriental. Seu desejo é ser lutador de kung fu e súdito de seus idolatrados furious five.
A reviravolta: por acidente (“não existem acidentes”), Po é eleito o grande Dragão Guerreiro, aquele que é o único que poderá derrotar o vilão Tai Lung e receber o pergaminho sagrado.
A revelação: Po descobre que a verdadeira força está dentro de si mesmo e é capaz de vencer seus desafios confiando em seu potencial (e sua pança).













Tracy Turnblad
Quem é: a gordinha mais simpática que já vi no cinema, é protagonista do musical Hairspray. Leva uma vidinha cotidiana e sonha em participar de um programa de TV como dançarina.
A reviravolta: quando Tracy é escolhida para fazer parte do programa que tanto gosta, se vê lado a lado com seu galã preferido, e com um racismo que não concorda.
A revelação: Tracy se torna adorada por todos na cidade e busca sua luta contra a discriminação. O final improvável e inverossímil derruba preconceitos de vários tipos.




















Remy
Quem é: o ratinho protagonista de Ratattouille. Mora com a família na periferia de Paris e sonha em ser chef de cozinha. Seu ídolo é o chef de um conceituado restaurante e apresentador de TV.
A reviravolta: quando Remy se vê em Paris, conhece o desastrado cozinheiro Linguini. Com muita boa vontade e sem talento nenhum, Linguini passa a receber ajuda de Remy para seus pratos no restaurante onde trabalha, e os pratos passam a fazer muito sucesso.
A revelação: quando o maior crítico de gastronomia de Paris se rende aos talentos de Remy, o ratinho vira cozinheiro chefe do restaurante e passa a comandar um pequenino lugar para seus amigos e familiares de sua espécie.







Todos já nos sentimos delocados antes. E já descobrimos que a força está dentro de nós mesmos. Aliás, falando em força, ontem eu e o Marcos encontramos o lado negor da força no McDonalds!



Que a força esteja com vocês! GWWAAMMMMMMM!


De onde nascem as tendências?

28 de ago de 2009

Olha, existem perguntas cujas respostas são inalcançáveis, essa é uma delas. Isso, no entanto, não quer dizer que a gente não possa fazer apostas, e é disso que eu vou tratar hoje. Outra coisa, eu vou puxar não uma sardinha, mas uma baleia para o meu lado (eu curso Letras-Português), porque as maiores tendências são antecipadas e clarificadas por ninguém menos que artistas, muitas vezes, especificamente por escritores, sim aquelas figuras solitárias ou não, pavorosas ou não, que elaboram dentro de suas mentes enredos, personagens que em um futuro próximo podem se transfigurar em uma realidade aparente e presente.
Dizem que esses “seres”, profundos conhecedores da sociedade em que vivem e também das pessoas que habitam esse espaço, costumam ter antenas que poderiam captar tudo aquilo que ainda não é muito claro. Um exemplo? Kafka, tendo escrito seu livro mais famoso, “Metamorfose”, antes da eclosão da segunda guerra mundial antecipou toda uma atmosfera supressora e fria que ainda não havia se concretizado no tempo em que vivia. Em suma, ele escreveu uma obra que se não fosse datada, seria perfeitamente alocada no pós-II guerra, na época em que o absurdo e a incoerência tornaram-se elementos imprescindíveis no teatro, principalmente com as peças de Beckett.

Outro exemplo? George Orwell que com seu livro 1984 escrito em 1948 (percebeu? 84-48) revelou alguns elementos que já se tornaram parte do nosso cotidiano e de nossa história. Ainda que não façam uma transcrição perfeita, e essa nem é a intenção, afinal eles são escritores e não profetas, esses artistas aguçam em sua época uma reflexão que para muitos ainda é distante.
Qual a tendência dessa semana então? Ler, ler, ler e ler. Com sorte você pode encontrar um autor que possa, nos próximos anos, antecipar aquilo que promete realmente se concretizar, se você tiver azar, na pior das hipóteses, pelo menos terá se divertido.

A tecnologia de Avatar

25 de ago de 2009

Tecnologia, por Marcos Coelho

Semana passada alguns cinemas no mundo todo exibiram alguns minutos do novo filme de James Cameron, Avatar. O conhecido diretor de Titanic, que também dirigiu outros filmes de ficção como “O segredo do Abismo” e “Aliens”, é conhecido por seu perfeccionismo no que concerne o uso de efeitos especiais em seus filmes. Tanto que, a seu pedido, a Panasonic desenvolveu câmeras especiais para que ele pudesse filmar debaixo d’água e assim levar pra casa o Oscar de efeitos especiais em Titanic.

Desta vez, Cameron promete levar o 3D para um outro nível. Quem teve a oportunidade de assistir ao pequeno preview sabe do que estou falando. Até agora, os grandes sucessos do 3D eram inteiramente concebidos como animação. E Avatar mistura live action com muita imagem gerada por computador (CGI), algo em torno de 70% do filme, incluindo seus atores principais, que estavam envoltos em sensores especiais que capturavam os movimentos e os enviavam a um banco de computadores, atuando em um palco para captura de movimentos seis vezes maior do que jamais usado por outro filme.

Cameron melhorou a captura de movimento, especialmente dos olhos e da boca e outros movimentos mais sutis. Outro avanço foi a invenção de um monitor, no qual o diretor podia ver o resultado da captura de movimento em tempo real, sem a necessidade de esperar que fosse processado por um computador. Na parte do live action Cameron desenvolveu uma câmera que funciona como o olho humano, capaz de capturar duas imagens simultaneamente.

O objetivo aqui é claramente inserir (em Imax 3D quase literalmente) o espectador em uma paisagem alienígena. Tudo é diferente do que você já viu, mostrando que Pandora seguiu um caminho evolucionário bem diferente do nosso.

É inegável seu parentesco com jogos de vídeo game e parece ser o formato do cinema por vir. Vamos esperar e ver.
(clique nas imagens para ampliar)





Novíssimos e conhecidos

20 de ago de 2009

Cinema, por Flávio St Jayme

Avatar
“Avatar se passa num novo e espetacular mundo além de nossa imaginação. Onde um herói embarca numa jornada de redenção e descoberta enquanto trava uma gigantesca batalha para salvar a humanidade. Este filme foi concebido por James Cameron há 14 anos, quando a tecnologia para realizá-lo ainda não existia. Agora, depois de quatro anos de produção, Avatar entrega uma experiência completamente imersiva no cinema de uma forma nova, onde a tecnologia revolucionária inventada exclusivamente para o filme desaparece diante da emoção dos personagens e o arrebatamento da história.” (minha tradução)
“A história destaca Pandora, uma lua que orbita o planeta gasoso Poliphemus em Alfa Centauri. Pandora é como a Terra, um planeta com formas de vida incríveis, densa vegetação e a civilização dos Na’Vi, uma raça humanóide mais primitiva que a nossa, mas muito sábia. Eles podem ser guerreiros ferozes quando provocados, mas normalmente vivem pacificamente em suas florestas. Os humanos não podem respirar o ar de Pandora, então, para que pudessem operar por lá, foram criados híbridos humanos-Na’Vi, chamados de Avatares.”


Bom, estes são releases oficiais do filme. Minhas impressões? Tenho medo de ser uma bomba de proporções homéricas. Amanhã (21/08) haverá uma exibição especial para jornalistas e convidados no Imax do Palladium em Curitiba (e aparentemente no de SP também), afinal é Avatar Day. Que medo que seja muito barulho por nada, como já dizia uma mente muito sábia. Veja o trailer aqui e tire suas próprias conclusões. O teaser impressiona visualmente, mas como sempre... pode ser que o trato tenha sido só no visual (como em Titanic, que não tem seu forte no roteiro).


Eternos coadjuvantes
Às vezes assisto algum filme por causa de algum artista. Quando isso acontece (com raras exceções) é por causa de algum coadjuvante. Sabe aquele q você diz ‘conheço esse cara de um outro filme’, mas não sabe o nome (nem dele nem do filme). John Hannah, Steve Zahn, Giovanni RIbizi e Stanley Tucci são alguns destes exemplos. Que eu me lembre tiveram um filme como protagonistas e nos demais foram coadjuvantes.


John Hannah
Vi a cara simpática dele pela primeira vez em Quatro Casamentos & Um Funeral, como Matthew, integrante do clã de amigos de Hugh Grant casado com outro homem. Dali em diante resolvi prestar mais atenção nele. Como coadjuvante fez o amigo engraçadão de Brendan Fraser em A Múmia (é agora que você diz, ‘aaahhh agora sei quem é’) e um filme quase desconhecido chamado De Caso Com o Acaso, com a Gwyneth Paltrow. Como protagonista fez um filme que eu adoro chamado Circus – Um Jogo Duplo.






Steve Zahn
Engraçado e animado ele é sempre o amigo boa praça do protagonista. Até faz um ou outro parzinho romântico, mas não passa do segundo plano. Foi assim em Bandidas, por exemplo. Fez também um funcionário da loja da Meg Ryan em Mensagem Para Você, esteve em The Wonders, e vozes em Chiken Little e Stuart Little. Um filme mais velho e muito bom com ele é Suburbia. Como protagonista pode-se dizer que fez o próprio Bandidas (protagonista masculino) e tem um papel bem relevante em Saara.







Giovanni Ribizi

Não me lembro quando o vi pela primeira vez. Acho que hoje ele me lembra um pouco o Shia LeBeauf, mas sem o mesmo padrinho e com mais talento. Esteve como coadjuvante em filmes como 60 Segundos, The Wonders, Suburbia, O Resgate do Soldado Ryan, As Virgens Suicidas, Encontros e Desencontros e no recente Inimigos Públicos, onde aparece por uns dois minutos. Estará em Avatar, de James Cameron (assunto do próximo post). Como protagonista fez o romance sensível sobre dois jovens com problemas mentais que resolvem se casar Simples Como Amar, com Juliette Lewis.




Stanley Tucci
Este você conhece! Em O Diabo Veste Prada é o braço direito da personagem da Meryl Streep (o careca!). Com um humor sempre afiadíssimo, às vezes faz algumas bombas, mas gosto bastante dele. Fez Dança Comigo?, O Terminal, Estrada Para Perdição, OS Queridinhos da América, o Puck em Sonhos de Uma Noite de Verão e Por Uma Vida Menos Ordinária, entre outros. Protagonizou o delicioso Os Impostores ao lado de Oliver Platt, que lembra bastante Quanto Mais Quente Melhor, e tem um quê de comédia das antigas.

A nova tendência de um país inteiro

Perdão a todos que esperavam mais de mim, mas eu realmente sou pop. Aos que ainda dizem que conseguem viver perfeitamente sem dar uma zapeada na TV aberta, por favor, ignorem esse post.

Viver a vida
Agora, com a atual novela em sua reta final a Índia não dura mais que alguns meses no imaginário nacional, então se você se submeteu a possuir algum brinco, colar ou estampa colorida, ou, está terminando de pagar suas prestações para uma visita espiritual à Índia, Are Baba! Corre-se o risco de você ter se tornado uncooll.
A nova novela das oito, essa sim uma nova tendência, se chamará “Viver a vida”, e é escrita por ninguém menos que Manoel Carlos, se você não sabe quem é, pode esperar por um autor sensível, dramático sem ser muito piegas e inteligente. Poucos sabem criar em pequenas camadas conflitos que se tornam antológicos. O tom será mais naturalista, ou seja, toda essa apoteose de costumes indianos darão lugar a uma atmosfera mais contemporânea, jovial e carioca. As chamadas que irão ao ar essa semana já são tendências, ou melhor, apostam em uma tendência documental, os atores e não os personagens falam sobre o que mais gostam de fazer, se você ainda está na parte tendência documental lembre-se que além de ganharem público, os documentários cresceram e hoje chegam a se imbricar com a ficção como em Borat ou Brüno, mas isso fica para o Flávio.

As tendências dos próximos meses




Adriana Birolli



A bela atriz Curitibana será a vilã da história, sendo na trama, irmã de Alinne Moraes e tendo como pais, Lília Cabral e José Mayer, não tem como não acontecer

O que esperar?
Capas de todas revistas femininas
Boatos sobre Playboy
Fotos no SPFW
Affair com globais


Bárbara Paz



Sim, ela que já foi do underground, se tornou cool na primeira edição da Casa dos Artistas no SBT (um verdadeiro clássico da TV, vai dizer), finalmente conseguiu chegar a Rede Globo com um papel digno, quer dizer, há controvérsias, afinal ela será uma alcoólatra que não come.

O que esperar?
Mobilização pública pela causa
Prêmio no Faustão e também arquivo confidencial
Notas e entrevista na Veja


Thaís Araújo


Mais uma protagonista, e olha que isso não foi ganho sem méritos, ela será a modelo internacional que se apaixonará pelo José Mayer, pai de Alinne Moraes, complicado? Não, é novela mesmo.

O que esperar?
Looks transportados da tela da TV para as ruas
Comerciais de cosméticos ou mais precisamente da Avon
Capas de revistas contendo sempre em letras garrafais : Completa, realizada e sensual.

Os países que bombarão nos próximos meses:

França


O principal enlace amoroso se dá em Paris.


Jordânia


Cenas com os principais galãs da novela acontecem nesse país e também com as protagonistas ficcionalizando editoriais de moda glamurosos.

O post, ficou meio grande, mas é que novela é muito tendência.

A indefinição do Blu-ray

19 de ago de 2009


É sabido que toda nova tecnologia demora um pouco para se tornar popular. Alguns são um fracasso retumbante não sendo simplesmente incorporado no dia-a-dia das pessoas. Ignorada e esquecida é logo substituída por outra. Alguém ai pensou nos bolachões LD (laser-disc) ou no MD? À época, quando foi lançado, o DVD também teve certa resistência por parte da população que não via necessidade de trocar seu velho videocassete por outro aparelho que só oferecia imagem melhor e ainda por cima nem gravava os programas da TV. Apenas dez anos após ser lançado do DVD já era um sucesso absoluto e cumpria exatamente o que prometia: praticidade, colectabilidade, imagem e som infinitamente melhor que o velho VHS.

Parece que estamos novamente enfrentando o velho dilema: será que vale a pena investir em um tocador de discos Blu-ray? Muito já foi dito a respeito da superioridade da imagem e do som e do maior espaço para armazenamento, mas o problema com o tal disco é que é preciso praticamente refazer sua sala de TV. TVs de plasma ou LCD adquiras há mais de dois anos, por exemplo, não são capazes de reproduzir o Blu-ray em sua total definição; poucos receivers tem um processador de som capaz de dividi-lo em 7.1 canais, sendo assim poucas pessoas tem 8 caixas de som “espalhadas” pela sala.

Por enquanto ainda parece um gadget para loucos por novidades, ou pessoas que estão atrás da última novidade para incrementar seu home theater. A revista Veja edição 2126, diz que ainda não vale a pena, apenas se você já tem uma TV Full HD, onde já se percebe as imperfeições dos atuais DVDs. A Folha de Londrina, edição de 18/08 mostrar que o aparelho está em busca da popularização, embora tenha um preço ainda proibitivo (entre 1,3 a 1,5 mil) e as ofertas de mídia para o player não sejam tão abundantes e bem caras se comparadas a um DVD.

Os investimentos em novas tecnologias estão sendo cada vez mais rápidos. É melhor nos acostumarmos a considerar obsoletos objetos de desejo ainda há pouco inatingíveis. Especula-se que o Blu-ray logo seja substituído por mídias digitais.

E você, quando vai trocar sua recém-adquirida TV LCD por uma LED TV?


Vintage ou Retrô?

18 de ago de 2009


Há quem use as palavras vintage e retrô como sinônimas, mas não são. A diferença é simples. A moda vintage é uma releitura do passado. Por exemplo, fazer um espartilho com tecidos totalmente artificiais e tecnológicos é criar uma peça vintage, pois está se fazendo um modelo antigo e agregando modernidade com a tecnologia do tecido. Um exemplo clássico de tendência vintage são as pin-ups.

Diferente do vintage, o retrô é pra ter cara de velhinho mesmo. Cara de coisinha roubada da adolescência da vovó.


A ideia agora é dar uma passeadinha pelos séculos e ver o que era moda e continua sendo, o que era tendência e virou vintage.


ANOS 20: Chapéu feminino


ANOS 30: Óculos de Sol


ANOS 40: Tweed


ANOS 50: Salto Agulha


ANOS 60: Mini saia


ANOS 70: Pantalona


ANOS 80: Ankle Boots


Anos 90: Sapatilhas (Alpargatas)



RAPIDINHA:

ESCAMBO FASHION: No próximo sábado (22), acontece no Hacienda Café mais uma edição do Escambo Fashion. O evento tem o objetivo de trocar peças e acessórios em bacana e em bom estado que você não está usando. Para participar é só levar as peças que você deseja trocar e estipular um valor.
O Escambo Fashion acontece à partir das 15 horas. O Hacienda Café fica na Alameda Prudente de Moraes, 1.238.

Imaginários

13 de ago de 2009

Decidi que aqui não irei fazer resenhas de filmes. Tem muita gente que faça isso por aí, com e sem critérios. Vou comentar filmes, cenas, personagens, acontecimentos ligados ao cinema.

Esta semana foi divulgado o trailer de O Imaginário do Dr Parnassus (tradução literal), o último filme de Heath Ledger (Batman O Cavaleiro das Trevas) que ele morreu antes de terminar. Colin Farrell (Demolidor), Jhonny Depp (Piratas do Caribe) e Jude Law (Alfie) o substituíram nas cenas que ainda não estavam prontas e o trailer é um deslumbre só. Me lembrou muito Moulin Rouge, mas mais alucinado (e alucinógeno). O tom de fantasia é completo e constante. A direção é de Terry Gillian (Brazil O Filme, Medo e Delírio em Las Vegas e todos do Monty Pyton), mas lembra bastante Tim Burton.





Não tem como falar de cinema esta semana sem falar de Brüno. O ultrajante personagem de Sacha Baron Cohen aporta nos cinemas brasileires esta semana deixando seu rastro de ódio e purpurina. Na mesmíssima linha de Borat, o personagem extrai o que há de pior nas pessoas, expondo seus preconceitos de maneira a ridicularizar famosos e anônimos e fazer a platéia rir. Sinceramente não sei se fico curioso ou chocado, se vejo ou não, afinal não gostei de Borat. Mas uma coisa é até certa: "um documentário convencional sobre o mundo das celebridades ou sobre o que é ser homossexual hoje na sociedade americana não teria o mesmo impacto" (Jornal do Estado 14/08). Abaixo criador e criaturas


(Só pra constar: depois de escrever este post assisti Brüno: chato, repetitivo, chocante e desnecessário. Pelo menos é bem curto)

Rodando no Ueba hoje, descobri umas imagens de “mash-up” de posters de filmes. Alguns ficaram impressionantes mesmo:


Alien+ET


Harry Potter + Trainspotting


Cantando na Chuva + Um Sonho de Liberdade


Tem mais aqui. Infelizmente não sei quem foi o autor destes posteres, mas lamento não ter sido eu...

Polainas!

Polainas! Com a minha volta ao tricô e a supertendência das polainas neste inverno resolvi falar um pouco das velhinhas. Item indispensável nos anos 80, as polainas ficaram famosas pelas aulas de aeróbica e – no Brasil – pela novela Dancing Days. A moda era polaina de luréx listrada e sandália de salto. Neste inverno, elas voltaram com tudo, até a elengantérrima grife Chanel apostou suas fichas milionárias no acessório oitentista.

Nas minhas andanças online achei blogs de tricô ótimos, dois que valem a pena ser visitados são Tricollage e o Mitricot, eles dão idéias diferentes e receitas ótimas. Achei roupinhas de cachorro magníficas nesses blogs. No álbum do Picasa da Nancy ela colocou revistas online inteirinhas, recheadas de receitas interessantes. Vou me arriscar numa dessas receitas, se for bem sucedida posto o resultado aqui em breve.


*Rapidinhas:

SOLIDARIEDADE: A Fundação Pró Renal de Curitiba tem um bazar solidário, onde se encontram peças de roupas com valores de R$1,00 até R$15,00. Toda a renda do bazar é revertida para a Fundação. O bazar fica na Av. Vicente Machado, 2190 com horário de atendimento das 9h às 17h. Vale à pena conferir! Informe-se pelo telefone (41)3312-5407.

CUSTOMIZAÇÃO: A lavanderia Restaura Jeans oferece dois serviços super bacanas. Já que estamos vivendo em crise ambiental e a nova onda é reciclar, isso vale também para dar uma repaginada em roupas e tênis. Por R$37,90, você pode levar seus tênis velhos, e a Restaura Jeans oferece cinco tipos de estampas para dar um “hot” no visual dos pensantes. Outro serviço super personalizado é o estilista para customização, basta tirar uma foto de uma roupa e encaminhar por e-mail para a lavanderia e o estilista faz um projeto de customização para a roupa, quando o projeto estiver pronto é só passar em uma das lojas e averiguar. O cliente só paga pelo projeto se resolver utilizá-lo. Achei MARA! No site da Restaura Jeans você encontra mais informações e serviços oferecidos pelas franquias.


PENSANDO NO VERÃO: Com um preview da coleção de primavera/verão 2010 já disponível, a proprietária da Due Brazil, Maryangela Amaral dá algumas dicas para a próxima estação. O vestido reina em absoluto. As cores das roupas vão do nude, bege, cinza-claro, off-white e tons pastel ao vermelho, verde, pink, amarelo, laranja e azul. O corte viés proporciona movimento e leveza das roupas. “As calças ganham um tom de alfaiataria com os bolsos faca e assim como na moda masculina vem em cores mais limpas, sem muitos detalhes”, explica Maryangela. Um preview das marcas RC3, Chamiserie, Jeanseria, Kamppala, Iorane para a próxima estação já podem ser conferidas na Due Brazil, localizada na Av. Bispo Dom José, 2249 (www.duebrazil.com).

EM BUSCA DE “COOLRITIBA”

12 de ago de 2009

Curitiba cresce, cresce e ainda sim, cada vez mais, os seus habitantes tem a certeza que ela nada mais é do que um clube levemente ampliado, do qual somos sócios. Apesar disso, as opções culturais e gastronômicas não são tão limitadas, mas como a proposta aqui é falar de tendências, resolvi indicar três lugares ainda não explorados pela grande massa ou ao menos, por enquanto, pela Veja Curitiba.

Café Parangolé -
Um café sem café é assim o Parangolé. Localizado no centro, mas um pouco distante dos lugares onde se concentram os bares e restaurantes tradicionais, ele é uma ótima opção para quem deseja um lugar agradável, com preço acessível, para tomar aquela cerveja com os amigos antes de pegar uma balada, ou mesmo para quem gosta de sair para colocar o papo em dia em um ambiente gostoso. O espaço, muito charmoso, foi criado a partir de uma casa tradicional do bairro reformada. É incrível para pequenos aniversários e despedidas, porque o Parangolé tem uma atmosfera de intimidade que conquista desde a primeira visita. O público frequentador vai desde jovens universitários -a Universidade Federal fica distante duas quadras -, vizinhos fiéis e até mesmo poetas, escritores e atores que, vez ou outra, promovem Saraus no espaço.

Confira o vídeo do Parango no youtube:





Endereço: Rua Benjamim Constant, 400


Jack In
Não sabe o que fazer em uma quinta-feira? Por que não cantar?
Essa é a proposta do Jack In Bar, espaço GLS, também distante dos grandes pontos de agitação. A programação de cada dia é diferente, e a quinta-feira se destaca já que geralmente esse é um dia to morto por aqui. Nas quintas, uma pequena legião de seguidores vão para lá curtir o Karaokê e cantar sem nenhuma vergonha músicas que estão cravadas em nossa cabeça para um público animado que acompanha junto em coro. A fila para cantar não é pequena, por isso, enquanto sua vez não chega, é possível jogar sinuca na mesa que fica no piso superior ou mesmo aproveitar o clima descontraído e azarar um pouco.

Endereço: Lamenha Lins, 1540


X- Montanha

Se você é um daqueles que adoram os guias de cidades que esmiúçam particularidades invisíveis a olho nu, vai gostar de conhecer esse achado gastronômico. X-montanha é o nome do Sanduíche originalíssimo que combina pão, alface, queijo, presunto, bolinho e pastel, isso mesmo, pastel e bolinho em um mesmo sanduíche. O nome da lanchonete em que se encontra o “montanha” se chama Montesquieu, mas o local é conhecido e batizado pelo nome do seu melhor prato, óbvio. Para acompanhar, não deixe de pedir uma gasosa. Os azulejos azuis e a família de descendentes de japonês que lá trabalha há algumas décadas dão um ar retro ao lugar e lembra muito aquelas lanchonetes da Liberdade em Sampa.

Endereço: Av. Silva Jardim, atrás do CEFET-PR (atual UTFPR)

Samsung Star: tela sensível a preço acessível

11 de ago de 2009


A onda do momento, ou a tendência, para citar nosso amigo Gerverson, parece ser mesmo o touch screen. Iniciada pela Apple, hoje ela está presente na maioria dos celulares lançados recentemente. Embora nunca tenha sido fã de aparelhos celulares, adquiri recentemente, graças – e de graça - ao plano da operadora o Samsung Star.
Apesar de não ser um celular top de linha, o Samsung Star convence mesmo por ser um aparelho full touch screen, ou seja, quase todas as suas funções estão concentradas na sua tela de 3 polegadas e por um preço bem acessível para quem o adquiri sem o subsídio da operadora.
Vamos às suas características: o Star (também conhecido como S5230) tem uma tela de 3 polegadas com resolução WQVGA, rádio FM, a tal câmera com smile detection, tocador de músicas, slot para microSD de até 8GB e bluetooth. Ele não tem 3G, mas o forte é a interface proprietária, que vem com a capacidade de widgets que dão informações sobre a bolsa, RSS, e atualizações do Facebook ou e-mail. A idéia é que esses widgets mantenham o usuário conectado com o mundo consumindo o mínimo de banda possível, já que ele vem com suporte apenas para Edge (o 2G).
Funciona de forma bastante interessante e me parece uma porta de entrada ao mundo do touch screen. Ou seja, ha de se acostumar com seus dedos na tela tentando arrastar as coisas, nem sempre funcionando. E para quem não tem habilidade para isso ainda vem a canetinha. Eu optei por não usar a canetinha, uma vez que o celular não vem com lugar para escondê-la. Às vezes irrita quando se está procurando um contanto e ele sobe e desce depressa demais, ou acidentalmente toca em um ícone e toda a sua play list é apagada. A impressão que dá é que você tem que usá-lo com os dedos levantados. Mas nada que você não se acostume.
Minha conta de celular não inclui pacote de dados, portanto mal pude explorar os widgets, mas pude perceber que precisa de paciência para se usar uma internet que não seja 3G. Outra coisa que faz falta no celular é um bom flash.
Mas vale a pena e é bem bonitinho.
 

2009 ·Clockwork News by TNB