Clockwork Comunicação

Twitter

O que é o clipping?

blog Pausa Dramática

Internautas descobrem como fazer dnheiro com Twitter

8 de abr de 2010

Internauta fatura até R$ 1 mil por um post no @trampo, com mais de 23 mil seguidores

Internautas ávidos por Twitter encontraram mais uma forma de explorar o site. Parece impossível, mas em apenas 140 caracteres alguns twitteiros aprenderam a ganhar dinheiro. Outros passaram a trocar dicas de esmaltes, carros e receitas. Até os solteirões tiram vantagem do microblog: ficam por dentro das baladas mais adequadas a quem procura um par. Diante desse leque de opções de entretenimento na rede, o povo brasileiro tornou-se a segunda população mais ativa no microblog.


Segundo a Sysomos, empresa americana de análise e monitoramento de mídias sociais, o Brasil representa hoje 8,8% dos 75 milhões de usuários cadastrados no Twitter. O País só fica atrás dos Estados Unidos, que detêm 50,88% dos twitteiros. Nas contas da empresa, os cadastrados fazem cerca de 50 milhões de “tuítes” por dia, o que significa a impressionante marca de 600 “tuítes” por segundo.

O paulista Luciano Ricci, 36 anos, por exemplo, a cada uma hora visita a página do @pratada e troca dicas de restaurantes e receitas com seguidores gastrônomos e admiradores de um bom prato. Há um ano ativo na rede, o administrador de empresas recentemente organizou o encontro “gastrotwitteiros” para reunir os chefs do microblog. No bar do Elias, na região da Pompeia, zona oeste de São Paulo, 40 profissionais da área degustaram uma tradicional feijoada, levaram quitutes próprios e até firmaram uma parceria. No mês que vem, Luciano abrirá um restaurante em Alphaville, com mais dois twitteiros.

Desde maio de 2008, o designer Thiago Sushi, 25 anos, também aprendeu a fazer dinheiro com o site. No @trampo, ele twitta vagas de emprego, enviadas por 1,2 mil agências do País. Ele tem mais de 23 mil seguidores. Até hoje, Thiago já empregou 400 seguidores da rede social. Nesse tempo de estrada, ele fez negócio com grandes empresas, como Ambev, Danone e Nestlé. E, claro, lucrou. Acredite, para twittar uma única vez um concurso da Ambev, Thiago Sushi recebeu R$ 1 mil.

Usar comunidades para encontrar emprego na rede, aliás, tornou-se bem comum no último ano. Até o novelista Walcyr Carrasco aderiu ao Twitter para encontrar atores. Como na rede acumula 41.957 seguidores, ele abriu o @walcyr_Job só para receber currículos. Na página, já encontrou uma diagramadora freelancer para a edição de um livro.

E diante da visibilidade do Twitter, até quem não gostava do site resolveu se render à ferramenta para divulgar outras redes, como blogs. Foi assim com o adolescente Eduardo Maida, 16 anos, dono de 1,5 mil modelos de carros em miniaturas e um blog do assunto. No Twitter, ele marca encontros com colecionadores e dá informações sobre o mercado automobilístico.

Bianca Fischer, 23 anos, não simpatizava com os 140 caracteres — limite de espaço para cada “twittada” —, mas depois de ter o número de visitas em seu blog de esmaltes triplicado por causa do Twitter, passou a usar a ferramenta para exibir os seus 720 vidros. Hoje, 1.760 adeptas de uma boa manicure acompanham a colecionadora na rede para falar de marcas, cores e estilos de unhas. Na maioria, mulheres. Segundo o blog oficial do Twitter no Brasil, existem mais mulheres (53%) em toda a rede do que homens (47%).
 
Do Jornal do Estado

0 comentários:

Postar um comentário

 

2009 ·Clockwork News by TNB